PASSEIOS

Vancouver e o interior de British Columbia

  • 941 km viajados
  • 01 torcida em um jogo de hóquei
  • 19 vinhos degustados

British Columbia – BC. Nós pudemos vê-la fria e coberta de gelo nas Olímpiadas de Inverno e nos perguntamos como seria nos meses de verão. Então decidimos parar de imaginar e ir até lá. Não podíamos deixar de conhecer Vancouver, com sua cultura culinária no centro além de tantos locais para se divertir ao ar livre. E não podíamos deixar de passar por Okanagan, com suas incontáveis vinícolas, lagos e trilhas rochosas para bicicleta - tudo isso banhado pelo sol. Sendo quem somos, não conseguiríamos nos comprometer com apenas um local – então visitamos ambos. E como prevemos durante nosso café da manhã em Naramata, agora que estamos de volta pra casa, estamos lendo sobre cidadania canadense.

Día 1
Hóquei!
Chegamos tarde em Vancouver e fizemos nosso check-in no hotel. Desfizemos nossas malas e descemos ao lounge para uma rodada de cervejas pós-voo. Do lado de fora, podíamos ver pessoas correndo pela Georgia St. usando todas as formas de azul e verde. Perguntamos à garçonete o que estava acontecendo e ela informou que haveria um jogo de hóquei na cidade. Aproveitou e disse que o bartender estava vendendo alguns ingressos que não pôde utilizar. Uma olhada ao redor da mesa e daria pra entender o que estava por acontecer. Desistimos de nossas cervejas, compramos os ingressos e fomos ao nosso primeiro jogo da NHL – a Liga Nacional de Hóquei. Dormir? Não necessário!
Día 2
Vancouver de última hora
Estava um pouco nublado pela manhã e o concierge recomendou que pegássemos uma pequena balsa de False Creek para Granville Island. Charmosa é apelido para esta vila repleta de queijos, carnes, bolos, frutos do mar e muito mais. Depois de termos experimentado quase todo o mercado, fomos para o distrito mais antigo e mais na moda, Gastown, para cafés e sanduíches de porchetta. Precisávamos andar longe deste enorme almoço e passeamos pelo muro do Stanley Park bem na hora de assistir o sol saindo das nuvens. Decidimos tomar uns coquetéis na cobertura do Hotel Georgia mais tarde e acabamos descendo para jantar também. Ótima ideia ou a melhor ideia?
Día 3
Levados pelas árvores
Tomamos um rápido café da manhã com ovos e batatinhas locais antes de seguir para as montanhas da costa que rodeiam a cidade. Nossa primeira parada foi em Capilano, uma densa floresta de enormes pinheiros ao redor de um rio fundo em um vale cruzado por uma pequena ponte pênsil. Depois de passar pelo cânion por uma ponte de pedestres, nós seguimos para a Grouse Mountain para realizar três coisas pela primeira vez: avistar um urso, tirolesa nas árvores e subir em um enorme moinho de vento. Depois de recuperar nosso fôlego, voltamos para a cidade para drinks no Salt Tasting Room e jantar no Bao Bei, uma brasseria super legal com pães de carne de porco que desciam deliciosamente.
Día 4
Viajando de carro
Dissemos até logo para a cidade e partimos com nossas câmeras carregadas. Bairros deram lugar à fazendas, e fazendas deram lugar à florestas conforme nos aproximamos de Hope. Paramos para molhar os pés em um riacho, depois dirigimos pela cidade buscando fofas panquecas e frutas frescas. Depois de termos abastecido os viajantes e o carro, dirigimos até o Manning Park, o local perfeito para um mergulho no lago à tarde. Poderíamos ter ficado na costa do lago, mas optamos por seguir viagem para Keremeos, onde encontramos a primeira de muitas (muitas) bancas de frutas locais. Adam queria continuar dirigindo, mas Sharon e eu o fizemos desistir da ideia. Graças a Deus existem os hotéis de estrada.
Día 5
Passeando e degustando
Conforme dirigíamos por Okanagan e o deserto de Nk’Mip com o sol nascendo, podíamos literalmente sentir o cheiro das frutas crescendo nas muitas vinícolas e pomares à nossa volta. Paramos na vinícola de Nk’Mip para um pequeno tour e café da manhã com vista para o rio – maravilhoso. Adam estava louco para uma partida de golfe, então jogamos um pouco antes de partir para Osoyoos. Já era hora da nossa primeira degustação de vinhos, então fomos para Tinhorn Creek. Um pouco de Pinot, um pouco de Chard e hora do almoço. Depois... outra vinícola – desta vez em Blasted Church: e desta vez com queijos. Nós encerramos o dia com jantar na vinícola Summerhill Pyramid Winery onde toda a comida vinha de fazendas a aproximadamente 1,6km de distância – incluindo o vinho.
Día 6
Todos equipados
Depois de tantas tentações culinárias ontem, já era hora de um pouco de atividade. Por sorte, o passeio de bicicleta pelo Kettle Valley era próximo. Alugamos mountain bikes selvagens e partimos. As paisagens das antigas pontes ferroviárias eram incríveis – foi uma ideia e tanto quando alguém disse “Ei, vamos transformar estes locais em rotas de bicicleta!”. Nós fizemos uma parada para almoço no Chute Lake Lodge que acabou da melhor forma possível: com torta e sorvete. Subimos em nossas bikes novamente e seguimos para a vinícola Hillside Estate Winery. Um pouco de vinho Riesling foi bem recebido na chegada, assim como um refrescante banho no lago. Como voltaríamos para a realidade depois disso tudo?
Día 7
Tesouro canadense
Nós começamos nosso último dia em uma praia em Penticton tomando um bom e encorpado café. Muito vinho ontem à noite, mas ei, estando em BC... Nós fomos para a Bohemian para frutas e granola antes de sair. Outra vinícola? Claro, por que não? Mission Hill foi realmente a maior vinícola que visitamos, com uma enorme sala com barris e degustação. Nós até esmagamos umas mil uvas na House of Rose. Depois de nos abastecermos, perguntamos a um dos funcionários qual era a melhor forma de terminar nossa viagem ao Canadá. Ele riu e nos apontou a direção de uma pista de boliche e um dos mais reconhecidos tesouros canadenses – uma loja de cafés e donuts chamada Tim Horton’s. Sim, somos canadenses agora – cheios de ar fresco, comida fresca e donuts frescos.