PASSEIOS

De Vancouver a Whistler pela Sea to Sky

  • 436 metros acima do solo
  • 01 trem subterrâneo
  • 04 doses de vodka

Desde que nos mudamos para Vancouver, nossos amigos fazem graça sobre como sempre falamos da beleza desse lugar, então, quando nossos antigos vizinhos vieram nos visitar, quisemos mostrar a eles por que nos apaixonamos pela costa oeste. Nós os levamos para passar um final de semana em Whistler pela rodovia Sea to Sky, uma das estradas mais paradisíacas do mundo - e com muito a explorar. Experimentamos pranchas com remos, caminhadas nas montanhas e uma aventura de safári no mar de alta octanagem, descobrimos a cultura das Primeiras Nações, incluindo a extração de ouro (juro!), e curtimos a vida noturna de Whistler. Quando nos despedimos, eles concordaram conosco: a costa oeste é a melhor de todas. Missão cumprida.

Día 1
Corrida do ouro
"Você não pode mergulhar fundo numa viagem de carro", foi o que Dana disse quando fez com que todos pulássemos no lago após nossa aventura na baía de Horseshoe. Menos de meia hora de carro do centro da cidade, embarcamos em uma lancha veloz para pegar a balsa. Vimos águias voando por cima de nossas cabeças e também lindas focas cochilando ao sol - tudo antes do almoço. Brincamos de garimpar ouro no museu de mineração ao lado do café favorito de Richie e Jacintha teve sorte ao encontrar uma pequena pepita. Foi ela quem pagou as bebidas naquela noite.
Día 2
Alto no céu
Nunca vou esquecer o som dos tambores tribais e cânticos rítmicos no Centro Cultural Squamish Lil'wat. Jacintha ficou fascinada pelos totens, e aprendemos a tecer com casca de cedro da mesma forma como o povo das Primeiras Nações fazia aqui há séculos. Fomos conferir com nossos próprios olhos as várias histórias sobre águias e montanhas a bordo da gôndola Peak2Peak. Onze minutos mágicos flutuando entre Whistler e Blackcomb, 436 metros acima do chão, cercados por natureza intocada. Assim que voltamos para a terra e provamos alguns dos lendários sushis da cidade, Richie havia prometido que iria nos mostrar uma maravilha do inverno de Whistler - um bar de gelo! A vodka é maravilhosa a 32 graus negativos.
Día 3
Andando pela água
Precisávamos arrancar as teias de aranha nesta manhã, então, resmungando para Kristina, que colocou o alarme para despertar, pegamos a estrada bem cedinho. Ela estava certa: uma caminhada pelas trilhas da floresta com o chilrear dos pássaros e os raios de sol atravessando as árvores nos deixou dispostos para aproveitar o dia. Próxima parada: uma aula de prancha com remo, que se transformou em uma sessão de ioga improvisada quando ficamos de ponta cabeça na água. Coisa impressionante. E quer saber de algo ainda mais impressionante? O festival de cerveja na aldeia de Whistler. Acontece que há um enorme movimento cervejeiro artesanal aqui. Eli estava no céu. Geralmente ficamos muito tristes com o fim de uma viagem, mas essa teve um deleite final: aquela vista maravilhosa da rodovia Sea to Sky por todo o caminho de volta para a cidade.