PASSEIOS

Verão nos Grandes Lagos para um Oásis Urbano

  • 403 fotos no total
  • 7 dias
  • 25 atividades no total

Achávamos que essa viagem seria um sonho impossível de se realizar, não apenas pela dificuldade de chegar lá ou de encontrar um tempo para isso, mas porque era praticamente impossível para os amigos mais desorganizados do mundo planejar uma viagem em grupo. Mas, de alguma forma, conseguimos e merecemos uma medalha por isso. Medalha e férias. O que nos traz aqui.

Día 1
Isso é vida
Ao chegar a esse lugar chamado 1.000 Ilhas, seu primeiro pensamento é passar o maior tempo possível dentro da água. E foi exatamente o que fizemos. Fizemos uma excursão completa pela manhã, que incluiu mais de 1.000 ilhas – algumas delas do tamanho de uma lajota. Saímos novamente, após uma parada na praia para comer uma porção de fritas e peixe, porque não há lugar algum em que você queira ficar quando está fazendo 27 graus lá fora. Vimos umas ruínas de naufrágios bem legais e encerramos nosso dia na região de Ontário.
Día 2
Fortes antigos e biscoitos fresquinhos
Durante nossa estadia em Kingston, ficamos em uma pensão vitoriana francesa chamada Hochelaga Inn. Sem dúvidas, esse foi o melhor lugar em que já estive hospedado, baseado no fato de que eles tinham biscoitos fresquinhos, direto do forno, a qualquer hora do dia – mesmo às 2 da manhã (não me julgue). O primeiro lugar programado para conhecermos foi o Fort Henry, onde Natalie riscou o item “ir a um campo de tiro” em sua lista de coisas que se deve fazer antes de morrer. Fazer isso vestida com um uniforme militar britânico era apenas um bônus. Passamos a tarde toda andando por Kingston – que lembra muito a Europa, com suas ruas de paralelepípedo e seus restaurantes de aperitivos enfileirados.
Día 3
Saudações a Wayne
Bryan e eu acordamos naquela manhã com o mesmo sentimento com o qual uma criança de cinco anos acorda na manhã de Natal – mas ainda melhor. Hoje era o dia em que homenagearíamos o herói: Wayne Gretzky. Embora nada pudesse ser comparado a Wayne, os docinhos feitos do açúcar de ácer no Mercado de St. Lawrence eram tão bons quanto ele. Na verdade, agora estou estudando uma forma de enviar esses importados para casa semanalmente. Natalie estava muito ansiosa para conhecer o Distillery District, que foi set de filmagem do filme Chicago, depois seguimos em direção ao mar para aproveitarmos uma tarde nas galerias de arte e nos terraços.
Día 4
Uma cidade feita de pequenas cidades
Em Toronto há, literalmente, uma cidade para quase todas as nacionalidades. Há Greek Town, Korea Town, Portugal Village, Little Italy, Little India, além de duas China Towns. Nós provamos as comidas e olhamos as vitrines em todas elas. Isto é, após descansarmos e nos divertirmos um pouco, além de relaxar em um passeio de bicicleta pela praia, nas agitadas Ilhas de Toronto. Isso foi necessário para nos recuperarmos de nosso encontro com a vida noturna em Toronto, na noite anterior. Mais tarde, assistimos a uma peça de teatro no George Ignatieff Theatre, que faz parte do Fringe Festival, um festival de teatro alternativo, de Toronto. Kiran ouviu uma mulher dizer à sua amiga que o filme Zoolander seria exibido em um cinema a céu aberto mais tarde naquela noite, obviamente fomos para lá, quem consegue resistir a esse filme?
Día 5
O país do vinho
Tomamos café da manhã no Sugar Beach, admirando o Porto de Toronto. Quando Kiran terminou seu banho de sol, seguimos para Casa Loma. É um antigo e imenso castelo com passagens secretas que nos manteve entretidos por um longo tempo. Natalie – que se autodenominou entendedora de vinhos – mal podia esperar para chegar a Niagara-on-the-Lake, então fomos para lá. É uma pequena e aconchegante cidade, quase toda tomada por vinícolas. Iniciamos nosso passeio pelas vinícolas por Inniskillin, mas obviamente sentíamos a necessidade de provar outros vinhos, e é por isso que os detalhes do fim do dia ficaram, de certa forma, confusos.
Día 6
As moças e os rapazes da neblina
Nas Cataratas do Niágara, a primeira parada é, obviamente, nas cataratas. Graças à pequena negociação de Bryan, conseguimos um helicóptero para sobrevoarmos o local e vermos as cataratas lá de cima, o que me deu 15 minutos de fama no Instagram. Não posso dizer o mesmo das minhas fotos com o poncho amarelo na Maid of the Mist. Para nos secarmos, fomos colher umas frutas nas fazendas de frutas do Niágara. Levou um certo tempo para enchermos nossas cestas, talvez porque estávamos comendo ao mesmo tempo, mas nós perseveramos e fechamos a colheita com uns martinis de fruta.
Día 7
O paraíso para amantes da culinária gourmet
Como era o último dia de nossa viagem, achamos que deveríamos fechar com chave de ouro – em uma lancha. Então, nos despedimos das lindas cataratas a 80 km/h. Como queríamos levar um pouquinho da história, paramos no topo da escarpa de Queenston Heights. Cansados de tentar arrancar um sorriso dos guardas, fomos assistir a uma peça de teatro no Shaw Festival. Voltamos para Toronto e encerramos o dia, que foi como o dia anterior, no qual bebemos e comemos no festival de culinária gourmet de Toronto, o Summerlicious.