PASSEIOS

Baleias e icebergs no verão de Terra Nova

  • 01 chuveiro improvisado
  • 95 Faróis
  • 02 peixes beijados

"Você vai sentir como se estivesse no fim do mundo!", declarou Kristian, e pela primeira vez ele não estava brincando. Terra Nova surpreendeu a nós todos. Tanta natureza selvagem e excitante para explorar - seja em terra como sob as ondas. Nós nos jogamos em tantas aventuras ao ar livre impressionantes durante nossa semana: exploramos a costa oriental de caiaque, observamos araus, nadamos com as baleias e vimos icebergs de milhares de anos passando ao lado do nosso barco. Cada pôr do sol era tão perfeito que você não vai acreditar que não usamos Photoshop nas fotos. Definitivamente, foi uma semana inesquecível.

Día 1
Caminhadas, botes e canoas
Após uma revigorante manhã em Cape Broyle com flores silvestres coloridas acariciando nossas botas, decidimos que merecíamos uma pausa e reservamos uma viagem de bote com Stan Cook, deixamos a canoagem para outro dia. Naquele ano eles não haviam descoberto nenhuma lula gigante ou sereias, mas muitas baleias, focas e icebergs - exatamente o que estávamos procurando. Com o vento em nossos cabelos e o estômago cheio de caldo de peixe, fomos procurar papagaios-do-mar. Tão fofos! Ainda pudemos ver baleias sacudindo suas caudas perto do bote. Kristian quis se vingar por termos deixado ele ficar ensopado debaixo da cachoeira, então nos fez trocar de roupas no antigo Forte de St. John - apenas entre nós, foi divertido.
Día 2
Beijando o bacalhau
Nos tornamos locais de Terra Nova hoje em uma cerimônia tarde da noite que envolveu um beijo em um bacalhau e tomar uma dose do rum local Screech. Também descobrimos que os papagaios-do-mar são péssimos ao voar, não tão ruim quanto Scott na canoagem - Pobre Helen, teve que remar sozinha. Mas ainda assim valeu muito a pena - estar tão próximo das baleias na água foi mágico. E mais mágico ainda nos esperava em terra com as casas de St. John coloridas com "jellybean" todas enfileiradas. Passamos a noite na George Street, dançando a música irlandesa ceilidh. Se isso for a vida de um local de Terra Nova, estamos dentro!
Día 3
Nadamos com as baleias!
Vestimos nossas roupas de banho para o destaque da viagem de Meagan. E daí se não estávamos nadando tão perto das baleias, podíamos vê-las pular e beijar as ondas no horizonte e como ela disse: talvez elas estavam somente envergonhadas. É um choque quando você pula na água, a água é tão congelante, e era exatamente o que precisávamos depois da balada da noite passada. Nós já nos sentíamos como moradores locais, pois alugamos uma casa adorável com vista para o mar. Demos uma festa na cozinha e assamos peixes enquanto o sol se punha.
Día 4
Cultura e Pôr do sol
Sucesso inesperado da viagem? Museu Bonavista; poderíamos ter ficado horas lá. Foi como explorar um sótão de 200 anos, cheio de esquisitices e de pessoas que viviam na vila de pescadores. Tão fascinante. Acabamos saindo tarde para pegar a balsa para a Ilha do Fogo e perdemos o passeio, mas quem se importa em esperar lá quando há peixes com fritas feitos na hora para saborear? Andar ao longo dos passadiços na Ilha do Fogo sob o sol da tarde parece andar sobre uma aquarela; não há dúvidas de que há uma colônia colorida por aqui. Segunda surpresa? Encontrar essa acomodação luxuosa em uma ilha no meio do nada. Luxo selvagem? Sim, por favor!
Día 5
Muito distante ou muito pequena?
Havia uma sensação de outro mundo nesta viagem; era como se tivéssemos tropeçado no Reino de Gulliver; os faróis em miniatura e os chalés típicos da vila pareciam tão pequenos, mas depois nos sentíamos como anões na paisagem que nos rodeava. Em Twillingate, observamos icebergs - incrivelmente, de mil anos - os cruzeiros passavam silenciosamente por nosso barco e, então, ouvíamos um estrondo quando rachavam e caiam no mar; foi tão inspirador. Então, Scott nos trouxe de volta para a terra, foi a primeira vez que ele conseguiu pegar algo em uma viagem de pescaria; era um pedaço de gelo e ele ainda havia usado uma rede, mas ele insistiu que brindássemos seu sucesso com uma cerveja feita com água de iceberg, claro.
Día 6
Parque Gros Morne
Como verdadeiros moradores, nós estocamos todos os itens essenciais: Screech rum e ‘Pebbles' da Newfoundland Chocolate Company (sim, foi onde compramos seu presente.) Em seguida, nosso passeio final: Parque Gros Morne, em busca do alce. Passamos faróis imponentes, passarelas sinuosas, águas revoltas ao longo do litoral, procuramos em todos os locais; não achamos um alce, mas sim um caribu - e gaivotas e andorinhas que voavam sobre nós. Mas o alce se manteve escondido.
Día 7
Mais um item da lista desmarcado
O melhor ficou reservado para o final; pela manhã, nós visitamos uma maravilha natural de nossa Lista da Terra Nova, uma viagem de barco pelo Western Brook Pond, um enorme fiorde esculpido há milhares de anos por geleiras com cascatas e paredes de penhasco. Os garotos até conseguiram se manter secos dessa vez. Esfomeados depois de todo o ar fresco que aspiramos estávamos nos dirigindo para a última taça de sopa cremosa de frutos do mar quando vimos os alces. Muito amigáveis, aproximaram-se para dizer "oi" e conseguimos tirar algumas fotos como prova. Lagostas quase todos os dias, papagaios voando, baleias nadando e alces amigáveis - estamos tão orgulhosos por estar no The Rock!