PASSEIOS

Odisseia de furgão de Alberta a Saskatchewan

  • Viagem de 1.400 km
  • 8.000 anos de história das Planícies
  • 01 pôr do sol montado em um cavalo e uma parada em um saloon

Fizemos tudo nessa viagem. Partimos de Calgary em nosso lustroso furgão para encontrar o bisão da pradaria, conhecer Mounties reais, caminhar entre hoodoos do deserto e subir em barrancos vermelhos. Ao longo do caminho, exploramos o orgulhoso patrimônio de Blackfoot, subimos em um cockpit de bombardeiro e ganhamos credenciais de cowboy em dois ranchos.

Día 1
Impressionados com os patrimônios mundiais
Escolhemos chapéus de cowboy em Calgary e dirigimos até o Bomber Nanton Command Museum, onde subimos no cockpit do lendário bombardeiro Lancaster da Segunda Guerra Mundial! De volta à estrada, encontramos guias Blackfoot em Head-Smashed-In Buffalo Jump que nos contaram que, há 6.000 anos, a terra tremeu com o som dos bisões em debandada pela colina abaixo. Após a caça, eles fizeram escudos com as peles e colheres com os chifres. Nada foi desperdiçado. Na praça, os percussionistas e dançarinos nos fizeram dançar. À noite, criamos nosso próprio ritual: fogo, amizade e sorrisos que se prolongaram por quilômetros.
Día 2
Caça a bisões e foras da lei
Ten-hut! Seguimos para o Fort Museum, sede da polícia montada do noroeste. Aparentemente, os primeiros Mounties foram formados para combater os comerciantes estadunidenses de uísque ilegal que viajavam para o sul de Alberta. O forte tem grandes exposições dos velhos tempos e da história das Primeiras Nações, além de abrigar o famoso Passeio Musical. Em seguida, dirigimos até o Parque Nacional Waterton Lakes, onde pradarias encontram montanhas, veados, pumas e bisões. Vimos lindos bisões gigantes bem no meio da estrada! Suas cabeças enormes estavam envoltas em xales de lã. Eles chegaram ao parque há 50 anos, mas você vai jurar que acabaram de chegar da Era do Gelo.
Día 3
Frank e cataratas
Ver o imenso campo de pedras caídas em Crowsnest Pass arrepiou minha espinha. Este era o lugar misterioso onde, em 1903, uma montanha desabou, enterrando partes da cidade mineira de Frank. É possível sentir como se fosse com você quando compartilham o lado pessoal da tragédia no centro de interpretação. De volta à estrada, mergulhamos nas Cataratas de Castle e nos apaixonamos pelas águas de cor azul-turquesa. Tantas cataratas. Jeff usou seu chapéu da sorte de cowboy dentro d'água. Quatro adultos crescidos disputando o balanço de corda. Um grande momento para o Youtube.
Día 4
Barrancos vermelhos e relaxamento
Voltamos alguns milhares de anos na trilha hoodoo do Parque Provincial Writing-on-Stone. É um lindo vale com montes e barrancos de barro. Para relaxar, pegamos boias e descemos o Milk River em um bote radical com os dedos encostando na água. Mais tarde, exploramos as pedras de arenito avermelhado no barranco Red Rock onde, se você ficar de pé, conseguirá ver as montanhas Sweet Grass a 100 km de distância! Em Medicine Hat, tivemos de visitar a grande tenda Saamis das Primeiras Nações. Cura espiritual, além do café Tim Hortons = abraçando o patrimônio vivo do Canadá.
Día 5
Sobre trutas e trote
Soltamos gritos ao cruzar a fronteira de Saskatchewan. Nossos amigos pegaram seus equipamentos de pesca e tentaram fisgar trutas em um lindo lago no Parque Interprovincial Cypress Hills. Descansamos no estaleiro, totalmente relaxados com nossas bebidas refrescantes. À tarde, chegamos ao secular Rancho Reesor. Conhecemos alguns cowboys autênticos que nos mostraram como refrear e selar nossos cavalos. Olhando para o vale no alto de nossas selas, sentimo-nos como lendas que ganham vida. No caminho de volta, consegui fazer o cavalo pegar trote. Espero que isso funcione com meu marido!
Día 6
Malandros da cidade se unem
Uhuw! Acordamos cedo para o treinamento de cavalos no Rancho Reesor. Ar fresco, águias voando por cima de nossas cabeças. Magnífico. Mais tarde, seguimos para o Rancho La Reata. Situado ao lado de um rio, com montanhas de pradaria e canyons, o lugar parece saído de um filme. Conhecemos o Sr. Blue e Oreo (meus dois cavalos favoritos) que pareciam felizes em compartilhar suas terras com o gado, coiotes e quatro malandros novatos da cidade. Depois de selar os cavalos, cavalgamos pelo rio e mergulhamos em um pôr do sol nas pradarias. Meu coração parou. Eu me dei conta de que o oeste selvagem estava em mim por todo esse tempo.
Día 7
Saudando o pôr do sol
Hoje, nós aprendemos a arte de usar as cordas e logo descobrimos por que o Calgary Stampede não nos chamará tão cedo. Dirigimos até o Depósito da RCMP, a Polícia Real Montada Canadense, onde experimentamos as elegantes túnicas vermelhas dos Mounties. Como crianças pequenas, não pudemos deixar de saudar e tirar fotos com as tropas reais, formadas por grandes esportistas. Não demorou muito para ouvirmos o som da tarola e das gaitas de foles. As tropas escaladas para a cerimônia do pôr do sol com seus chapéus Stetsons de aba larga e botas de montaria de cano alto. A multidão aplaudiu, os canhões rugiram. Excelente. Por isso decidi encerrar minhas férias com uma marcha pública.